Na semana passada o Bitcoin voltou a subir, com uma alta de US$ 6.786 para US$ 9.500, que muitos traders atribuíram aos investidores cobrindo seus shorts, ou comprando de volta no mercado após a queda significativa da criptomoeda no início deste ano.

O Bitcoin é considerado pela Internal Revenue Service uma propriedade a ser declarada, ou seja, os lucros das transações estão sujeitos a cobranças de impostos sobre o capital, segundo alguns especialistas por este motivo houve uma maior movimentação na venda e compra de Bitcoins dias antes da declaração de imposto de renda nos Estados Unidos.

A teoria do dia do imposto é assim: as pessoas precisavam liquidar seus ativos de Bitcoin antes do prazo da declaração para convertê-lo em dólar e pagar seus impostos.

O Bitcoin subiu mais de 1.300% no ano passado e, como resultado, os impostos nos EUA giraram em torno de US$ 25 bilhões por conta da moeda digital, de acordo com Tom Lee, diretor de pesquisa da Fundstrat Global Advisors grande estrategista de Wall Street ao divulgar as metas de preço do Bitcoin, declarou neste domingo que o criptomoeda pode chegar a um patamar similar ao de um mês antes de atingir US$ 20 mil em 2017.

Ele previu que a criptomoeda atingirá US$ 20 mil até o meio do ano e US$ 25 mil até o final de 2018.

 

Escrito por: Amanda de Melo Barbosa